sábado, 8 de agosto de 2009

Destaques do findi

Primeiro: bom que a Zero está adotando manchetes interessantes. Por exemplo: "Mulheres pilotam os espetos" - clever... Mais bonita ainda: "A capital é campeã em chupetas"!!!

Segundo: um ilha nossa, na divisa com Argentina e Uruguai, sofreu um grave incêndio, que começou na tarde de sexta. 40% da ilha foi queimada. O pessoal termina a matéria com a seguinte frase: "As chamas já foram controladas". - Que mané "já"? 40% da coisa pegou fogo!

Terceiro: o mais novo estudo de Educação que querem implantar no Brasil é o de Nova York! Nem começaram a seguir os planos recém feitos conforme a Europa e já chegou a nova moda. É claro que a coisa tem mil furos para ser aplicada aqui, mas tem umas que são tão diretas que cabem neste blog. P. ex., uma das medidas permite que o diretor contrate assessoria técnica! Hahahaha. Adivinha quem ele vai contratar? Já não tem cargo público de graça demais por aqui? Bom, a Yeda vai precisar de emprego logo, se tudo andar como prometem. Quem sabe?

O plano ainda envolve estabelecer a punição ou premiação dos profissionais por resultados, o que pode chegar a demissão. Pra começar, a premiação por resultados já existe para as instituições e praticamente só deu merda. Por que diabos a coisa funcionaria diferente? Planos de emprego, como ficam? E, pra completar, isso envolve uma série de medidas (até mesmo uma avaliação colada nos alunos feita com um sistema da IBM) que dependem de... investimento! hahaha A premiação e a promoção dos professores que se destacam também custa dinheiro, não esqueçamos.

Apenas para não perder tempo com as medidas americanas menos impossíveis de serem aplicadas decentemente aqui, termino com a novidade de que os alunos infratores seriam facilmente (pensando na qualidade do comportamento de brasileiros) expulsos. Pra onde? E como ficaria toda a máquina assistencial que mantém o caos nas escolas e os votos na situação?

Pra completar, a frase inicial da matéria da Zero a esse respeito diz tudo, mesmo que tentem dar peso só ao lado bom dela, claro: "A reforma passa ao largo da discussão sobre teorias pedagógicas e se concentra em resultados". Curiosidade: quando os EUA vão bolar uma estratégia sobre ALGUMA coisa que não se resuma a essa frase e que tenha chances de resultar em qualidade?

2 comentários:

Bianca Pêra. disse...

as coisas que os americanos inventam mal funcionam pra eles, o que dirá pra nós.

Tigre - Perêra disse...

É, talvez a gente aprendesse mais com os erros deles mesmo. O sistema de ensino de língua estrangeira criado em cima daquelas hiperpesquisas que gastam muito mais do que os outros países podem gastar gerou uma metodologia ridícula que exigiu reviravoltas emergenciais na 2a Guerra (quando comprovaram a inutilidade do sistema que tinham criado). Com certeza outras rateadas deles podem ser úteis, como o método que criaram nesse caso para resolver o déficit.