terça-feira, 24 de maio de 2011

O fingido e masturbatório apoio à Educação

É tão bonito ver a população de Porto Alegre apoiando a professora Amanda Gurgel. É claro que a cidade segue em greve por propostas cada vez mais insultantes da Prefeitura. É claro que as pessoas continuam falando que professor ganha muito e que não podia estar em greve, como se o salário de alguém justificasse o governo não pagar suas dívidas, como se o salário verdadeiro dos professores fosse realmente alto e como se os demais serviços de Porto Alegre não precisassem da união dos municipários para conseguir também suas exigências. É claro que, depois de Cézar Busatto, José Fortunati (prefeito) foi à imprensa inventar salário dos professores. 

Mas é lindo as pessoas elogiando a professora Amanda Gurgel. Nossa, como se preocupam e valorizam a Educação...

Todos na prefeitura estão tentando entrar em contato com o prefeito para a cobrar a dívida ainda maior se ESTE é o salário que deveriam estar recebendo! (Correio do Povo de hoje)

2 comentários:

Rafa Guerra disse...

Ainda q fosse este o salário, ainda assim seria pouco. Professor c/ carga horária de 40 horas não trabalha "apenas" 40 horas. E ainda deveriam ter um adicional de periculosidade. Bom salário não é a única forma de respeitar e valorizar o trabalho do professor, mas já seria um começo rsrs.

Tigre disse...

Com certeza. E, no caso específico, é também ridículo esse papinho de salário "alto" porque o reajuste é só uma entre várias exigências, algumas das quais cruzam as secretarias que estão em greve. Por exemplo, não existem policiais civis (grupo também em greve) nem para atender emergências nas escolas, menos ainda para ter 1 ou 2 guardas por escola, que é o que a Prefeitura diz garantir para os cidadãos.