domingo, 8 de maio de 2011

Genoino patriota

Quando Nelson Jobim (ministro da Defesa) convidou José Genoino para ser seu assessor, ele basicamente disse, "Genoino que sabe das coisas, vou mais aprender com ele que dar pitaco". Foi importante naquele momento, ao que parece, estarmos saindo de uma eleição e Genoino não ter absolutamente nada para fazer. Estaria desempregado, se não fosse político, mas, sendo, obviamente podia contar com ser convidado para qualquer coisa, e o foi nada menos que para a assessoria da Defesa.

Hoje o cara que sabe das coisas foi condecorado pelo humilde ministro de quem é praticamente um mentor há anos (conforme disseram na época do convite), junto de 284 civis e militares que prestaram serviço à Defesa.

Jobim é um sujeito de retórica confusa. Disse por exemplo, na comemoração, que a Comissão da Verdade vai recompor a memória histórica, mas não tem objetivo de investigação. Que quereria ele dizer com isso? A Comissão vai funcionar no Ctrl-V/Ctrl-C? Vão ficar na superfície? Vão reunir documentos, mas ninguém vai ler tentando descobrir coisa nenhuma? Curiosa expressão. Talvez fosse a emoção da cerimônia, momento com certeza tocante. Jobim parece até ter exagerado na galanteria de novo ao falar sobre Genoino e sua condecoração. Conforme O Globo, teria dito "Nós estamos todos olhando para a frente. O que queremos fazer é um grande ajuste de contas com o futuro".

Ajuste de contas? O ministro está se vingando do futuro? Talvez suponha que o futuro olhará para trás e dirá "Como assim, Genoino condecorado pela Defesa?! Ele não merece!", e o passado responderá com uma medalha, na cara do futuro! Contas ajustadas. Ufa.

Um comentário:

carla m. disse...

No futuro, o mesmo discurso do passado, em que esquecer é perdoar, entender é remoer a vingança, aff.

É por essa falta de memória que o futuro é capenga!